Textos
A IMPORTÂNCIA DO LÚDICO PARA O DESENVOLVIMENTO DA CRIANÇA Dirigido a educadores (pais e professores)
A IMPORTÂNCIA DO LÚDICO PARA O DESENVOLVIMENTO DA CRIANÇA
Dirigido a educadores (pais e professores)

    Desde o nascimento, as crianças são mergulhadas num contexto social. Este contexto é muito importante, pois é capaz de interferir no seu desenvolvimento nos diversos aspectos. Ao observarmos atentamente o modo como as diferentes crianças brincam, é possível perceber que o uso que fazem dos brinquedos e a forma de organizá-los estão relacionados com seus contextos de vida e expressam visões de mundo particulares. Os adultos que convivem com elas, quando se transformam em parceiros de seus jogos e brincadeiras, muitas vezes não se dão conta da importância de cada gesto, de cada palavra, de cada movimento. Alguns desses adultos cantam, transmitem conhecimentos e ensinam brincadeiras. Outros pensam que as crianças não entendem nada e que só é preciso atender às suas necessidades básicas para que não fiquem doentes, não passem fome, frio ou sede.
    As brincadeiras ficam mais interessantes quando as crianças podem combinar os diversos conhecimentos a que tiveram acesso, nessas combinações, muitas vezes inusitadas aos olhos dos adultos, as crianças revelam sua visão de mundo, suas descobertas.
    Atualmente as crianças começam a frequentar cada vez mais cedo as instituições voltadas para ela, como as creches e as escolas de Educação Infantil. Nesses espaços o brincar é muitas vezes desvalorizado em relação a outras atividades mais produtivas e a brincadeira acaba ocupando apenas o tempo do intervalo. Valorizar a brincadeira não é apenas permiti-la, mas suscitá-la. O jogo significa para a criança muito mais que o simples ato de brincar, pois através dele, ela pode se comunicar com o mundo.
Ao brincar a criança não só lida diretamente com os objetos e as situações que a afetam no cotidiano, como também tais objetos e situações adquirem significados e sentidos próprios, constituindo-se assim o jogo, como um elemento fundamental para a formação do ”eu” psicológico e social do sujeito.
    Vygotsky considera a brincadeira uma grande fonte de desenvolvimento que, como foco de uma lente de aumento, contém todas as tendências do desenvolvimento de forma condensada. Para ele a brincadeira fornece ampla estrutura básica para mudanças das necessidades e da consciência, pois através destas, as crianças ressignificam o que vivem e sentem.
    De fato, se em algum momento, por exemplo, a criança fixou um acontecimento real, ela reelaborará esta situação jogando simbolicamente, expressando assim suas emoções e sentimentos. A fantasia é fundamental na vida das crianças, especialmente quando estão no período simbólico (quando surgem as condutas de representação simbólica ou a capacidade da criança diferenciar significantes e significados) , porque sua relação com a realidade ainda está sendo construída.
    Para Brougére, na brincadeira do faz de conta se estabelece uma forma de comunicação que pressupõe um aprendizado, com consequência sobre outros aprendizados , pois ele permite desenvolver um melhor domínio sobre a comunicação, abrindo possibilidades para a criança entrar num mundo de comunicações complexas, distinguindo realidade, invenção, imaginação, etc. E ainda afirma que a brincadeira implica tomar decisões, mesmo que simples, como a risada de um bebê sinalizando sua aprovação diante da brincadeira da mãe.
    A manipulação livre de qualquer brinquedo ou sucata propicia a ampliação do seu campo de experiências, de vivências, o que no futuro a ajudará a fazer escolhas, definir papéis, tomar decisões em qualquer campo.
    Pode-se observar que brincar não significa simplesmente recrear-se isto porque é a forma mais completa que a criança tem de se comunicar consigo mesma e com o mundo. Além do mais o brincar possibilita a construção de conhecimentos. Nesse brincar está a valorização, o pensamento, o movimento, gerando canais de comunicação e proporcionando o seu desenvolvimento nos diversos aspectos (físico, emocional, social, intelectual e psicológico).
    No brincar, quanto mais papéis a criança representa, mais amplia a sua expressividade, construindo conhecimentos, ampliando os vocábulos linguísticos e psicomotores além do ajustamento afetivo emocional que alcança na representação desses papéis. Por isso, ao contrário do que se pensa, oferecer a oportunidade dos meninos também brincarem de boneca e casinha, pode ter uma importância fundamental. Possibilita-os visualizar, representando simbolicamente, questões como rivalidade entre irmãos, papel do pai na família e ou problemas na constelação familiar, aliviando qualquer tensão que isso possa estar lhe trazendo. Isso vai contribuir diretamente no seu equilíbrio emocional.
    O jogo traz oportunidade para o preenchimento de necessidades irrealizáveis. Quando a criança é pequena é o jogo que determina sua ação. Ao longo do seu crescimento o jogo vai lhe incutir valores como necessidade de se cumprir regras estabelecidas pela sociedade, de controlar seus impulsos( desenvolvendo inteligência emocional), valorizar a disciplina e conhecer os seus limites, saber conviver com outras pessoa respeitando diferentes pontos de vista, dentre outros. Esses fatores, sem sombra de dúvida serão indispensáveis para o seu sucesso na e realização na vida futura (fase adulta) em vários campos de atuação.
    

Livia Chamusca
Enviado por Livia Chamusca em 08/04/2020
Alterado em 09/04/2020
Comentários
Site do Escritor criado por Recanto das Letras